PADRÃO ÁGUIAS COMPLETA 35 ANOS DE FUNDAÇÃO

PADRÃO ÁGUIAS COMPLETA 35 ANOS DE FUNDAÇÃO

06 de maio de 1985

06 de maio de 2020

A Organização dos Águias completa nesta quarta-feira, 06 de maio/2020, seus 35 anos de existência. Um legado de marcou épocas, atravessou o tempo e transformou gerações com o seu legado da educação pelo exemplo. A imensa e honrosa trajetória dos seus ideais, cujos princípios foram erguidos por Cleiton Pimentel, um grupo de meninos denominados de Aventureiros Águia, escreveu uma bonita história de amor pelo Planeta.

 

Ao longo dos 35 anos de existência o maior de todos os destaques está o empenho e compromisso sagrado de se doar pela causa humanitária, assegurando-lhes à constante luta pela defesa do meio ambiente e na preservação da integridade da vida, ancorada nos pilares da formação cívica, ecológica, humanística e social, alicerçados nos valores de Altruísmo, Generosidade, União, Integração e Amizade. Aliados aos seu propósito, os Águias se estruturam permanentemente para estarem preparados para enfrentar todos os tipos de situações adversas e intempéries naturais, para oferecer a sua experiência na aplicação do suporte e auxílio como força de proteção social em todas as situações.

 

Em comemoração atípica, em momentos críticos de pandemia, o Mestre dos Águias, Avt 1º Mestre Cleiton Pimentel falou da importância de mensurar a data para marcar de forma singela a chegada do capítulo 35 do livro dos seus ideais de amor e respeito pela vida.

 

Prezados Integrantes, Amigos e Colaboradores

 

Estamos vivendo um momento único na história da humanidade. O inimigo invisível mudou a rotina de todos de maneira assustadora. Mudou hábitos, exigiu novos procedimentos, novas maneiras e plantou uma nova identidade mundial. Talvez o inimigo chamado de vírus exige de todos nós uma incontestável forma de ser e de agir daqui para frente. Por isso, nesse momento em que nos isolamos do convívio social da normalidade, tivemos a necessidade de abrir mão de estarmos juntos e compartilharmos lado a lado o prazer de estarmos fortalecidos do calor humano.

 

De repente descobrimos a imensa falta de tocar as mãos uns dos outros após o nosso fraterno gesto do cumprimento, nos reservamos a ausência do beijo e do abraço, das conveniências da nossa cultura e forçosamente tivemos que aprender a compreender a necessidade de nos vestir o rosto de maneira diferente com um escudo de proteção para se defender da arma poderosa contida numa microscópica gota destruidora.

 

De fato, esse é um momento ímpar, sem muita explicação com muitas tentativas de verdades num complexo bombardeio de informações tóxicas, de incompreendidas mortes diante dos nossos olhos como se não houvesse nenhuma barreira eficaz contra o inimigo que ataca sem piedade.

 

Durante os 35 anos de existência da nossa Instituição, temos um desafio presente ainda maior: talvez o convencimento de que algo precisa ser modificado urgente para não extinguirmos o nosso modo de vida. Precisamos lutar incessantemente para despertar e compreender a necessidade de olharmos ao nosso redor e respirarmos a sensibilidade do valor de viver. É a vida ! É pela vida, pelo amor e pela fé que estamos neste mundo. Nossos valores não podem estar confinados e destinados em algo material apenas. Precisamos nos unir para estarmos integrados para lutar e compartilharmos o bem de todos para com todos.

 

Hoje, mais do que nunca, a nossa comemoração deve ser uma reflexão. Que possamos erguer os nossos pensamentos em atitudes de amor e perseverança para enfrentarmos essa guerra invisível que assola e reduz o nosso papel diante desse mundo. Que o nosso legado da educação pelo exemplo possa estar presente em tudo que fizermos de bem e de bom para todos para chegarmos ao ápice da vida.

 

Que possamos nos abraçar, ainda que em pensamento e nos fortalecer cada dia para as nossas atitudes de paz e humanidade.

 

Quando tudo isso passar, que possamos nos encontrar mais fortalecidos do que nunca para que diante da luz da fogueira, em momentos de lazer ou em qualquer situação, o nosso toque no olhar seja enaltecido o quão grande é a nossa capacidade de falar, mesmo quando não existem palavras para expressar.

 

Hoje, 06 de maio de 2020, o nosso coração mesmo triste e abalado sangra por um momento de paz, a nossa voz clama por perdão e grita ecoando nos vales das montanhas. Águias, Sempre Águias, Presentes e Atuantes.

 

MATÉRIA: CEDIR / PAAO (CECP)   –   FOTOS:  ARTE (DANIEL MIRANDA)

 

CENTRO DE ESTATÍSTICA, DOCUMENTÁRIO, INFORMAÇÃO E REGISTRO
Todas as matérias estão sob a responsabilidade de Cleiton Evandro Corrêa Pimentel (CECP) –Reg. Profissional Jornalista – Min Trab nº 0039699/RJ

 

Deixe uma resposta

5 × cinco =

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.